Mutualista Covilhanense abre Sala Snoezelen e Gabinete de Alzheimer

Sede2 edited

 

A Mutualista Covilhanense inaugurou, no dia 7 de junho, durante as comemorações do 87º aniversário da Associação, a sala snoezelen e o Gabinete de Apoio ao Familiar e Pessoa com Doença de Alzheimer da Mutualista Covilhanense, previstos no projeto “No Horizonte das Demências”, recém-distinguido com os Prémios ao Valor Social da Fundação Cepsa. A data ficou ainda marcada pela reabertura de um jardim, após uma requalificação que o dotou de hortas geriátricas e de percursos sensoriais.

“Estas inaugurações significam o arranque do projeto no Horizonte das Demências, através do qual pretendemos melhorar não só a qualidade de vida dos nossos utentes seniores que sofrem com a doença, como também a de centenas de pessoas no concelho”, afirma o Presidente da Instituição, Nelson Silva, recordando que “o Gabinete de Apoio ao Familiar e Pessoa com Doença de Alzheimer é de abrangência concelhia e que também a sala snoezelen estará aberta à comunidade”. Ambos estão localizados na sede da Associação, sendo que o Gabinete funcionará em articulação com a Unidade Móvel de Saúde, chegando assim às freguesias rurais.

Atualmente, não existe na cidade da Covilhã em funcionamento nenhuma sala snoezelen, espaço equipado com capacidade técnica que associa a estimulação sensorial ao relaxamento, destinado a doentes diagnosticados com demência. A nova área estará equipada como uma cama de água, um painel interativo de luz e som, um projetor de céu estrelado e um chuveiro de fibra ótica, entre outros.

Quanto ao Gabinete, é pioneiro no concelho e funcionará a partir do Centro Clínico, “disponibilizando uma resposta técnica pluridisciplinar a cuidadores formais e informais de portadores da doença, com recurso a técnicos da área da Sociologia, Psicologia, Medicina, Enfermagem e Farmacêutica”, explica Nelson Silva. Relativamente ao jardim reabilitado, situa-se no piso inferior da sede da Associação, nas traseiras da área administrativa. Em homenagem a Bárbara Ribeiro, que foi utente da Instituição durante 15 anos, primeiro do Centro de Dia e depois da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI, e que cuidou do espaço durante cerca de uma década – falecida em janeiro passado, aos 91 anos de idade –, passará no próximo dia 7 de junho a chamar-se “Jardim D. Bárbara”. Todas as árvores deste espaço verde foram, de resto, plantadas por Bárbara Ribeiro.

Para além dos percursos sensoriais e das hortas geriátricas, com caixas em sulipas de madeira e canteiros elevados, o jardim terá novo mobiliário e uma zona de estadia com sombra. “A reabilitação do espaço foi projetada a pensar no bem-estar físico, psíquico e social dos nossos utentes seniores do Centro de Dia e da ERPI, proporcionando contato com a natureza, a possibilidade de cuidarem das hortas como método terapêutico e, simultaneamente, oportunidades de relaxamento e contemplação”, refere Nelson Silva.