Mutualista Covilhanense quer Unidade Móvel de Saúde na estrada

Adquirir e equipar uma Unidade Móvel de Saúde destinada à prevenção, vigilância e prestação de cuidados primários nas freguesias rurais do concelho da Covilhã constitui o principal investimento previsto pela Direção da Mutualista Covilhanense para 2016. O objetivo foi assumido pelo presidente da Associação Mutualista, Nelson Silva, em reunião de Assembleia Geral, onde os associados aprovaram por unanimidade o Plano de Atividades para o próximo ano, com um orçamento a rondar os 1,5 milhões de euros.

A Unidade Móvel de Saúde visa beneficiar sobretudo a população mais idosa e com limitações físicas ou geográficas de acesso. «Trata-se de um serviço inovador na nossa zona, destinado a atuar sobretudo fora do casco urbano da Covilhã, embora possa também contemplar a própria cidade», explicou Nelson Silva durante a sessão.
O presidente da Direção salientou que esta Unidade Móvel de Saúde, orçada em 70 mil euros, «traduz-se, na prática, em levar os serviços da Mutualista na área da Saúde para fora das suas instalações, para o exterior, chegando às freguesias e indo, assim, ao encontro dos associados, ao invés de serem estes a procurarem a Instituição». Atualmente, aquela que é a única associação mutualista em toda a Beira Interior dispõe de um Centro Clínico, com gabinete de enfermagem e consultas de clínica geral e de especialidade, e de uma Farmácia. O líder da associação adiantou que o novo serviço contará, por isso, «com toda a experiência de muitos anos que a Mutualista tem na Saúde» e também com «parcerias fundamentais», entre as quais se contam instituições e entidades ligadas a esta área, Câmara Municipal e Juntas de Freguesia. «Não será fácil colocar a Unidade Móvel de Saúde na estrada no primeiro trimestre do ano, mas é esse o nosso desiderato», disse Nelson Silva.
Para além da Unidade Móvel de Saúde, a Direção da Mutualista Covilhanense tem mais quatro grandes objetivos previstos para 2016, entre os quais estão duas ações nas suas instalações: a reconversão energética do edifício e a continuidade na realização de pequenas obras de melhoramento ao nível do seu interior.
Dotar a valência de Apoio Domiciliário de um veículo devidamente adaptado e equipar a Sala Snoezelen assumem-se como as grandes prioridades na vertente de apoio à 3.ª idade.

 

Fonte: Mutualista Covilhanense