O “terreno fértil” do Mutualismo em cooperação destacado num encontro da Segurança Social

COOPERACAO

 

“Os tempos que correm confrontam-nos, diariamente, com novos desafios no terreno, novos fenómenos sociais a que importa dar resposta” e que “exigem do Estado e dos Atores Sociais um comprometimento e um espírito de cooperação e parceria ainda mais profundo”, defendeu a União das Mutualidades Portuguesas, representada pelo seu Vice-Presidente do Conselho de Administração, José Carvalho, no Encontro “Cooperação: Uma História de Parceria”, promovido a 7 de dezembro, em Tomar, pelo Centro Distrital de Santarém da Segurança Social.

Num painel sobre os Desafios das Instituições de Economia Social, em que participaram também representantes da União das Misericórdias Portuguesas e da CNIS, a União das Mutualidades Portuguesas advogou ainda a criação de mecanismos e abordagens mais flexíveis, porque “muitas das soluções que os problemas reais das pessoas exigem, não se enquadram no catálogo de respostas tipificadas que norteiam o processo de cooperação entre o Estado e as Entidades da Economia Social”.

Considerando o Mutualismo “um terreno fértil” em exemplos de cooperação, realçou os muitos casos de sucesso nas parcerias entre Associações Mutualistas e entre estas e outras entidades que não apenas do Estado e da Economia Social.