“Que a participação das mulheres no Movimento Mutualista não se resuma apenas a este Encontro”

ENMM IMAGE 1000

 

O 1.º Encontro Nacional de Mulheres Mutualistas, realizado pela União das Mutualidades Portuguesas, em Ovar, produziu várias conclusões, que foram reportadas no final dos trabalhos. O documento regista o apelo a que a participação das mulheres no Movimento Mutualista “não se resuma apenas a este Encontro, mas que se envolvam ativamente nas Mutualidades, ultrapassando o limite dos 30 por cento impostos pela Lei da Paridade”, e que “sejam uma voz ativa, participativa e presente, engrandecendo o Mutualismo”.

Deste Dia Internacional da Mulher, mas também dia do 1.º Encontro Nacional de Mulheres Mutualistas, ficou ainda o apelo para que “estas lutas pela igualdade sejam travadas, conjuntamente, por homens e mulheres, em busca de uma sociedade mais justa e uma vida mais digna para todos os cidadãos, independentemente do género que representam”.

Das várias intervenções ressaltou, também, a ideia de que “as mulheres vão-se assumindo, cada vez mais, como protagonistas do filme da sua própria vida. As mulheres pensam mais em superação e agem em termos ambivalentes”. Olhando a essas características, ficou sublinhada a perceção de que “as mulheres não se podem autolimitar, não podem cruzar os braços e não podem esperar que sejam só os homens a mudar a realidade existente”, um “desafio grande para cada uma das mulheres”.