UMP assume Vice-Presidência do Comité Intercontinental da União Mundial das Mutualidades em Genebra

AG UMM JUN2019 Genebra 1000

A 18 de junho, a União das Mutualidades Portuguesas, através do seu Presidente do Conselho de Administração, Luís Alberto Silva, assumiu formalmente a Vice-Presidência do Comité Intercontinental da União Mundial das Mutualidades, na Assembleia-Geral que decorreu em Genebra, na Suíça.

Esta nova estrutura, a que a UMP deliberou aderir em novembro de 2018, propõe-se representar Associações Mutualistas de todo o mundo junto dos governos e organismos internacionais, e trabalhar fortemente na cooperação e partilha de experiências no âmbito do Mutualismo, promover a capacitação do setor, celebrar acordos no âmbito da Economia Social e Solidária, desenvolvimento sustentado, saúde, sistemas de prevenção social, reformas e pensões e outros dossiês da esfera mutualista.

O Comité Intercontinental, que iniciou as suas funções na Suíça, é presidido por Alfredo Sigliano, representante do continente americano; e tem como vice-presidentes Luís Alberto Silva, em representação da Europa; e Abdelmoula Abdelmoumni, representante de África.

O programa de ação aprovado na Assembleia Geral do dia 18 estabelece como prioridades o crescimento da UMM, através de adesões de mais mutualidades, cabendo aos representantes de cada continente desenvolver um plano nesse sentido e reunir recursos técnicos, logísticos e financeiros que capacitem a organização.

“Estamos entusiasmados com este novo desafio em nome da afirmação do Mutualismo no mundo e temos a consciência que há um longo caminho a percorrer na expansão deste Movimento”, considera Luís Alberto Silva.

Segundo o representante máximo da UMP, “o mutualismo é um modelo de proteção social e de resposta aos desafios da sociedade, aplicável em qualquer lugar do mundo”, porque assenta nos “princípios da corresponsabilidade e da solidariedade”.

“Sentimos, pelas abordagens que vamos tendo, que existe uma grande curiosidade em relação ao modelo mutualista, seja na Europa de Leste, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) ou em outras regiões do mundo, e isso redobra o nosso otimismo em relação ao futuro”, afirma o dirigente, encarando a UMM como um veículo e uma oportunidade para expandir o Mutualismo.

A ata da Assembleia Geral será assinada por Alfredo Sigliano, Luís Alberto Silva e Abdelmoula Abdelmoumni, a 8 de julho, em Vila Nova de Gaia, onde vão participar num dos painéis do Dia Nacional do Mutualismo dedicado ao “Mutualismo Sem Fronteiras”.