PRÓXIMOS EVENTOS

PROTOCOLOS
Tribetech
Tribetech
2022
ISCAP
ISCAP
2022
EWEN
EWEN
2022
Simplio LDA – “Educabiz”  “Seniorbiz”
Simplio LDA – “Educabiz” “Seniorbiz”
2022
Repsol
Repsol
2022
Associação Artistas de Bragança

Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança

Praça Camões
5300-104 Bragança | Bragança
273 325 629 932 500 556
ir para a página web

Natureza Jurídica: Associação Mutualista
NIPC: 501393382
Contituida em: 17-03-1870
Filiada na UMP desde: 1870-03-17
Última Atualização: 09-03-2021
  • Assistncia Medicamentosa
    • Quota 2,00€
      • Desconto de 25% sobre o valor a pagar pelo associado em todos os medicamentos adquiridos com receita médica e que sejam comparticipados.
      • Desconto de 5% em medicamentos sujeitos a receita médica mas não comparticipados.
      • Desconto de 5% em produtos de venda livre.
      • Desconto de 2% em leites, papas e outros produtos de nutrição infantil.
      • Desconto de 1% em produtos protocolo da Diabetes.
  • Assistncia Mdica
    • Quota 0,50€ (OPCIONAL)

      Acesso aos serviços médicos e de enfermagem e aluguer de material ortopédico, praticados pela Cruz Vermelha, nas mesmas condições disponibilizadas aos seus associados.

NOTA: Os documentos publicados são da inteira competência e responsabilidade das Associadas filiadas na União das Mutualidades Portuguesas.

    No dia 19 de Março de 1870, um grupo de cidadãos artistas (artesãos) da cidade de Bragança, motivados pelos valores da solidariedade e do mutualismo, decidiram fundar a Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança.

     Estava-se então em pleno período de expansão do movimento mutualista em Portugal e os Brigantinos mais uma vez não ficaram indiferentes às dificuldades sociais e embuidos do verdadeiro espírito de solidadriedade quizeram, em conjunto, dar o seu contributo para melhorar a vida dos seus próximos.

     Ao longo dos seus 143 anos de existência, a nossa Associação, através das sucessivas direcções que a dirigiram, constituiu-se como uma instituição de referência no apoio económico, social, recreativo e cultural aos seus associados em particular e à população em geral.

     Ontem como hoje, os desafios são enormes. Se aquando da sua fundação os problemas sociais eram grandes, que dizer dos dias que vivemos com uma população envelhecida, com os jovens sem emprego e com os ativos que diariamente são lançados para o desemprego engrossando o empobrecimento generalizado de todos?

     A associação ao longo da sua já secular existência sempre soube estar à altura das suas responsabilidades sociais. O mutualismo, movimento em  que nos encontramos integrados, incorpora valores como solidariedade, igualdade, proteção, cidadania, inclusão social, inovação e transparência, valores estes que nos responsabilizam socialmente perante os mais vulneráveis.

     Consideramos que se tivermos a capacidade de diariamente termos estes valores presentes pondo-os em prática e soubermos fazer juz à nossa história estaremos em condições de mais uma vez enobrecer o mutualismo e dignificar o passado e presente desta instituição.

     Sentimo-nos assim investidos de uma enorme responsabilidade para mantermos no presente e transportarmos para o futuro todo o prestígio e referência de que somos herdeiros.

     Tudo faremos para que a nossa associação permaneça como uma referência no apoio aos mais desfavorecidos seja através das ajudas mais primárias ou através de medidas que permitam a (re)integração e consequentemente a plena cidadania.

    No dia 19 de Março de 1870, um grupo de cidadãos artistas (artesãos) da cidade de Bragança, motivados pelos valores da solidariedade e do mutualismo, decidiram fundar a Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança.

     Estava-se então em pleno período de expansão do movimento mutualista em Portugal e os Brigantinos mais uma vez não ficaram indiferentes às dificuldades sociais e embuidos do verdadeiro espírito de solidadriedade quizeram, em conjunto, dar o seu contributo para melhorar a vida dos seus próximos.

     Ao longo dos seus 143 anos de existência, a nossa Associação, através das sucessivas direcções que a dirigiram, constituiu-se como uma instituição de referência no apoio económico, social, recreativo e cultural aos seus associados em particular e à população em geral.

     Ontem como hoje, os desafios são enormes. Se aquando da sua fundação os problemas sociais eram grandes, que dizer dos dias que vivemos com uma população envelhecida, com os jovens sem emprego e com os ativos que diariamente são lançados para o desemprego engrossando o empobrecimento generalizado de todos?

     A associação ao longo da sua já secular existência sempre soube estar à altura das suas responsabilidades sociais. O mutualismo, movimento em  que nos encontramos integrados, incorpora valores como solidariedade, igualdade, proteção, cidadania, inclusão social, inovação e transparência, valores estes que nos responsabilizam socialmente perante os mais vulneráveis.

     Consideramos que se tivermos a capacidade de diariamente termos estes valores presentes pondo-os em prática e soubermos fazer juz à nossa história estaremos em condições de mais uma vez enobrecer o mutualismo e dignificar o passado e presente desta instituição.

     Sentimo-nos assim investidos de uma enorme responsabilidade para mantermos no presente e transportarmos para o futuro todo o prestígio e referência de que somos herdeiros.

     Tudo faremos para que a nossa associação permaneça como uma referência no apoio aos mais desfavorecidos seja através das ajudas mais primárias ou através de medidas que permitam a (re)integração e consequentemente a plena cidadania.

    No dia 19 de Março de 1870, um grupo de cidadãos artistas (artesãos) da cidade de Bragança, motivados pelos valores da solidariedade e do mutualismo, decidiram fundar a Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança.

     Estava-se então em pleno período de expansão do movimento mutualista em Portugal e os Brigantinos mais uma vez não ficaram indiferentes às dificuldades sociais e embuidos do verdadeiro espírito de solidadriedade quizeram, em conjunto, dar o seu contributo para melhorar a vida dos seus próximos.

     Ao longo dos seus 143 anos de existência, a nossa Associação, através das sucessivas direcções que a dirigiram, constituiu-se como uma instituição de referência no apoio económico, social, recreativo e cultural aos seus associados em particular e à população em geral.

     Ontem como hoje, os desafios são enormes. Se aquando da sua fundação os problemas sociais eram grandes, que dizer dos dias que vivemos com uma população envelhecida, com os jovens sem emprego e com os ativos que diariamente são lançados para o desemprego engrossando o empobrecimento generalizado de todos?

     A associação ao longo da sua já secular existência sempre soube estar à altura das suas responsabilidades sociais. O mutualismo, movimento em  que nos encontramos integrados, incorpora valores como solidariedade, igualdade, proteção, cidadania, inclusão social, inovação e transparência, valores estes que nos responsabilizam socialmente perante os mais vulneráveis.

     Consideramos que se tivermos a capacidade de diariamente termos estes valores presentes pondo-os em prática e soubermos fazer juz à nossa história estaremos em condições de mais uma vez enobrecer o mutualismo e dignificar o passado e presente desta instituição.

     Sentimo-nos assim investidos de uma enorme responsabilidade para mantermos no presente e transportarmos para o futuro todo o prestígio e referência de que somos herdeiros.

     Tudo faremos para que a nossa associação permaneça como uma referência no apoio aos mais desfavorecidos seja através das ajudas mais primárias ou através de medidas que permitam a (re)integração e consequentemente a plena cidadania.

    NEWSLETTER
    subscrição

    Subscreva e receba os nossos canais de comunicação...

    REVISTA MUT