PRÓXIMOS EVENTOS

PROTOCOLOS
Tribetech
Tribetech
2022
ISCAP
ISCAP
2022
EWEN
EWEN
2022
Simplio LDA – “Educabiz”  “Seniorbiz”
Simplio LDA – “Educabiz” “Seniorbiz”
2022
Repsol
Repsol
2022
Associação de Socorros Mútuos de S. Francisco de Assis de Anta

Rua Tuna Musical, 987 - Anta
4500-054 Espinho | Aveiro
227 340 103
ir para a página web

Natureza Jurídica: Associação Mutualista
NIPC: 500964530
Contituida em: 09-09-1905
Nº Associados: 13156
Filiada na UMP desde: 2013-12-31
Última Atualização: 29-10-2019
  • Saúde-Médica
  • Subsídio Funeral

NOTA: Os documentos publicados são da inteira competência e responsabilidade das Associadas filiadas na União das Mutualidades Portuguesas.

  • Análises
  • ECG
  • Enfermagem
  • Fisioterapia
  • Ginecologia-Obstetrícia
  • Medicina Dentária
  • Medicina Desportiva
  • Medicina do trabalho
  • Medicina Geral e Familiar
  • Nutricionista
  • Oftalmologia
  • Ortopedia
  • Otorrinolaringologia
  • Pediatria
  • Podologia
  • Psicologia
  • Terapia da Fala
  • Urologia

Edifício Social No início do ano de 1924 é discutido numa das reuniões de Direcção, a compra de um terreno para as instalações da Instituição. Em Maio, o terreno com uma área de 360 m2, é adquirido pelo preço de 7.200$00. Em Junho é apresentada a planta do projecto para a construção, projecto esse elaborado pelo Arqº. José Ferreira Peneda. Este foi um projecto arrojado para a época. A Associação não tinha o capital disponível para de imediato arrancar com a construção. Vivia-se numa época de epidemia, o que exigia um grande esforço financeiro para a Associação. Em 1924 existiam 5438 associados. Para o efeito, os sócios passaram a pagar, além das quotas, um suplemento mensal de 50 centavos, para ajudar à construção do empreendimento. Essa cobrança adicional terminou no ano de 1929. Assistência Médica No ano de 1935, foram propostos os regulamentos para funcionamento da classe dos socorros médicos e farmacêuticos, na Associação. Só em Agosto de 1938 foram criados os serviços de assistência médica na Associação, a que os sócios podiam aderir mediante uma quota de 50 centavos, quota esta posteriormente aumentada para 2$50 por mês e mais tarde para 3$00. Como os associados moravam relativamente longe da sede, passaram também a ter postos de atendimento nas áreas de residência e consultas ao domicílio. Chegaram a ser praticadas pequenas cirurgias e protocolos de serviços de radiologia. Em 1958, foram assinados protocolos de prestação de serviços de oftalmologia com descontos para os associados quer em consultas quer em cirurgias da especialidade. Em 1971 a Santa Casa de Misericórdia de Espinho informou que gostaria de manter o acordo com a Associação no que diz respeito aos serviços de Radiologia prestada pela Santa Casa. Em 1982 foi pedido pela junta de Freguesia que a Instituição cedesse um espaço para instalar um posto médico. Contudo, este pedido foi recusado uma vez que já se encontravam a funcionar os serviços administrativos da Associação, bem como a escola primária e os serviços médicos. Porem em 1983, foram retirados os benefícios médicos porque o número de aderentes já não gerava receitas para poder suportar as despesas correspondentes. Ficou assim a Associação com a modalidade de Subsídio de Funeral que ainda se mantém nos dias de hoje.

Edifício Social No início do ano de 1924 é discutido numa das reuniões de Direcção, a compra de um terreno para as instalações da Instituição. Em Maio, o terreno com uma área de 360 m2, é adquirido pelo preço de 7.200$00. Em Junho é apresentada a planta do projecto para a construção, projecto esse elaborado pelo Arqº. José Ferreira Peneda. Este foi um projecto arrojado para a época. A Associação não tinha o capital disponível para de imediato arrancar com a construção. Vivia-se numa época de epidemia, o que exigia um grande esforço financeiro para a Associação. Em 1924 existiam 5438 associados. Para o efeito, os sócios passaram a pagar, além das quotas, um suplemento mensal de 50 centavos, para ajudar à construção do empreendimento. Essa cobrança adicional terminou no ano de 1929. Assistência Médica No ano de 1935, foram propostos os regulamentos para funcionamento da classe dos socorros médicos e farmacêuticos, na Associação. Só em Agosto de 1938 foram criados os serviços de assistência médica na Associação, a que os sócios podiam aderir mediante uma quota de 50 centavos, quota esta posteriormente aumentada para 2$50 por mês e mais tarde para 3$00. Como os associados moravam relativamente longe da sede, passaram também a ter postos de atendimento nas áreas de residência e consultas ao domicílio. Chegaram a ser praticadas pequenas cirurgias e protocolos de serviços de radiologia. Em 1958, foram assinados protocolos de prestação de serviços de oftalmologia com descontos para os associados quer em consultas quer em cirurgias da especialidade. Em 1971 a Santa Casa de Misericórdia de Espinho informou que gostaria de manter o acordo com a Associação no que diz respeito aos serviços de Radiologia prestada pela Santa Casa. Em 1982 foi pedido pela junta de Freguesia que a Instituição cedesse um espaço para instalar um posto médico. Contudo, este pedido foi recusado uma vez que já se encontravam a funcionar os serviços administrativos da Associação, bem como a escola primária e os serviços médicos. Porem em 1983, foram retirados os benefícios médicos porque o número de aderentes já não gerava receitas para poder suportar as despesas correspondentes. Ficou assim a Associação com a modalidade de Subsídio de Funeral que ainda se mantém nos dias de hoje.

Edifício Social No início do ano de 1924 é discutido numa das reuniões de Direcção, a compra de um terreno para as instalações da Instituição. Em Maio, o terreno com uma área de 360 m2, é adquirido pelo preço de 7.200$00. Em Junho é apresentada a planta do projecto para a construção, projecto esse elaborado pelo Arqº. José Ferreira Peneda. Este foi um projecto arrojado para a época. A Associação não tinha o capital disponível para de imediato arrancar com a construção. Vivia-se numa época de epidemia, o que exigia um grande esforço financeiro para a Associação. Em 1924 existiam 5438 associados. Para o efeito, os sócios passaram a pagar, além das quotas, um suplemento mensal de 50 centavos, para ajudar à construção do empreendimento. Essa cobrança adicional terminou no ano de 1929. Assistência Médica No ano de 1935, foram propostos os regulamentos para funcionamento da classe dos socorros médicos e farmacêuticos, na Associação. Só em Agosto de 1938 foram criados os serviços de assistência médica na Associação, a que os sócios podiam aderir mediante uma quota de 50 centavos, quota esta posteriormente aumentada para 2$50 por mês e mais tarde para 3$00. Como os associados moravam relativamente longe da sede, passaram também a ter postos de atendimento nas áreas de residência e consultas ao domicílio. Chegaram a ser praticadas pequenas cirurgias e protocolos de serviços de radiologia. Em 1958, foram assinados protocolos de prestação de serviços de oftalmologia com descontos para os associados quer em consultas quer em cirurgias da especialidade. Em 1971 a Santa Casa de Misericórdia de Espinho informou que gostaria de manter o acordo com a Associação no que diz respeito aos serviços de Radiologia prestada pela Santa Casa. Em 1982 foi pedido pela junta de Freguesia que a Instituição cedesse um espaço para instalar um posto médico. Contudo, este pedido foi recusado uma vez que já se encontravam a funcionar os serviços administrativos da Associação, bem como a escola primária e os serviços médicos. Porem em 1983, foram retirados os benefícios médicos porque o número de aderentes já não gerava receitas para poder suportar as despesas correspondentes. Ficou assim a Associação com a modalidade de Subsídio de Funeral que ainda se mantém nos dias de hoje.

NEWSLETTER
subscrição

Subscreva e receba os nossos canais de comunicação...

REVISTA MUT